Tudo o que você precisa saber sobre o ARLA 32

Hoje, uma das maiores preocupações das empresas é fazer com que o processo de produção seja o mais sustentável possível. No caso das companhias do setor de logística, isso tem tudo a ver com a diminuição da emissão de gases poluentes gerados por automóveis, que incentiva mudanças na área. Usar produtos como o ARLA 32 para caminhões e veículos de grande porte foi a solução encontrada para entrar em acordo com as exigências do mercado e fazer com que os veículos rodem de maneira mais ecológica e econômica.

O ARLA 32, abreviação para Agente Redutor Líquido Automotivo, é uma solução de ureia de alta qualidade e pureza, usada em conjunto com o sistema de Redução Catalítica Seletiva, o SCR, presente em veículos que movidos a óleo diesel. O número 32 se refere ao nível de concentração da solução de ureia de 32,5% em água desmineralizada, o que faz esse produto ser transparente e não tóxico.

Desde 2012, a maioria dos veículos pesados fabricados no Brasil, como caminhões e ônibus, passaram a contar com a tecnologia SCR. Para esses motores, o uso do ARLA 32 é obrigatório.

Para entender melhor como esse composto funciona, é preciso saber que ele não é um combustível nem um aditivo de combustível, e precisa ser usado exclusivamente em veículos que tenham o tanque SCR. Isso porque o ARLA 32 atua na redução do óxido de nitrogênio, abreviado como NOx, que é emitido pelos gases de escape dos veículos movidos a diesel. Quando entra em contato com esses gases, esse reagente químico transforma o NOx em vapor d’água e nitrogênio, que são inofensivos para a saúde humana.

A explicação pode parecer complicada, mas esse produto é muito fácil de usar e praticamente não representa perigos para quem usa. Ele não é explosivo, nem inflamável e ajuda a poluir menos o ambiente, o que entra de acordo não só com as novas políticas de consumo e produção sustentável, como também deixa a frota de veículos em consonância com a lei.

Legislação

O ARLA 32 é um produto que atende às demandas da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, a ANP, feitas para o mercado brasileiro. A lei que obrigada os veículos movidos a diesel a usarem algum tipo de tecnologia para reduzir a emissão de poluentes é um espelho de outras legislações ao redor do mundo que buscam o mesmo ideal: tentar limpar a atmosfera de gases nocivos à natureza.

O interessante é que o Brasil saiu na frente em relação a muitos outros países quando, em 2012, obrigou os veículos de grande porte que têm o sistema SCR a usarem produtos como o ARLA 32 para reduzir a emissão dos poluentes. Essa legislação é considerada um dos padrões mais rigorosos para o setor de transportes, mas é também muito elogiada pela eficiência e praticidade.

Normalmente, os principais poluentes caçados pelas leis de emissões de veículos são os Óxidos de Nitrogênio (NOx), Material Particulado (PM), Monóxido de Carbono (CO) e Hidrocarbonetos (HC).

No Brasil, a lei que governa a restrição desses poluentes é chamada de Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, a PROCONVE. No momento, o país está na fase P-7 da legislação, com todos os maiores fabricantes de caminhões e ônibus no Brasil oferecendo modelos de veículos equipados com o sistema SCR e, consequentemente, sendo obrigados a usar produtos como o ARLA 32 para se enquadrar no padrão.

Como usar o ARLA 32

O abastecimento do ARLA 32 em ônibus, caminhões e carros que tenham o sistema SCR é feito de forma muito parecida com o diesel. Mas não se confunda: esse produto não é misturado ao combustível! Nos tanques dos veículos que rodam a diesel, geralmente existe um outro recipiente, ao lado da tampa para o tanque de combustível, em que é adicionado o ARLA 32.

A proporção é de cerca de cinco litros de ARLA 32 para cada 100 litros de diesel, em média, 5% do volume total de combustível abastecido é o suficiente. Ou seja: para cada 20 litros de diesel, é necessário usar 1 litro de ARLA 32.

Mas preste atenção: esse produto só serve para veículos que tenham o sistema SCR implementado. Ônibus, caminhões e carros movidos a diesel também podem ser equipados com o sistema EGR, que não funciona com o ARLA 32 sob o risco de estragar o motor.

Esse reagente é classificado como um aditivo de risco mínimo no transporte de fluidos, então motoristas de caminhões ou ônibus que viajam muito pelas estradas podem ter o próprio galão para usar na hora de abastecer. Mas é necessário que o produto seja de fato o ARLA 32, e não alguma versão diluída ou com compostos diferentes. Isso porque, se esse reagente químico não tiver as exatas proporções, pode acabar comprometendo o funcionamento dos veículos.

Um exemplo disso são os motoristas que acham que, por ser em grande parte composto por ureia, o ARLA 32 pode ser substituído por urina. O primeiro erro nessa suposição é que dificilmente um veículo com SCR vai aceitar outra substância que não a que ele foi preparado para usar, já que o próprio sistema vai acusar que a proporção das substâncias não está correta e que a água usada não é totalmente pura.

E o segundo erro é que adulterar ARLA 32, o que é crime passível de multa ou até mesmo a apreensão do veículo. Então, para não ter dor de cabeça, é melhor que o motorista só use o reagente original.

É importante, também, manter o recipiente do produto longe de outras substâncias que possam contaminá-lo e, na hora de abastecer o veículo, ter muito cuidado para não misturar com nenhum outro tipo de reagente. O ARLA precisa ser puro para funcionar. Por isso, além de sempre usar o ARLA 32 original, o motorista precisa armazená-lo em lugares protegidos da luz do sol e de temperaturas muito altas ou muito baixas. Se for mantido em uma embalagem fechada e seguindo essas orientações, o reagente pode ser guardado por até um ano.

Se você trabalha com transportes, com certeza precisa ficar por dentro do que é o ARLA 32. Vale a pena seguir a legislação corretamente para não ter problemas com a fiscalização na estrada. Mas, uma dica para passar longe de dores de cabeça é sempre usar carretas revisadas e, para isso, você pode contar com a Vialoc! Estamos sempre prontos para ajudá-lo em qualquer lugar do Brasil com a nossa frota de alta qualidade. Entre em contato e faça um orçamento.

Comentários

LEIA TAMBÉM: