Logística sustentável: dicas para aplicar na sua empresa

Os hábitos de consumo estão se transformando com o passar dos anos. O número de consumidores conscientes, que são aqueles que estão preocupados em como o ato de comprar pode afetar a sociedade e o meio ambiente, está crescendo. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Akatu com 1.090 pessoas com mais de 16 anos entre março e abril deste ano revelou que mais de 38% dos entrevistados já incorporam mais de cinco práticas sustentáveis no dia a dia, ou seja, são considerados “iniciantes” no consumo consciente. Em 2012, eram 32%.

Cabe as empresas adotarem, mesmo que aos poucos, alternativas mais “verdes” em seus processos produtivos para atender a essa demanda que está em expansão. E todos os setores precisam estar engajados nesse processo, inclusive o de logística. E isso não só porque é uma tendência, mas principalmente por ser aquele que tem um grande potencial poluente. Além de ser algo que beneficia e muito a empresa em todos os sentidos, faz bem ao planeta!

Está se perguntando por onde começar a implantar essas práticas no seu negócio? A Vialoc tem algumas dicas para você. Confira!

Logística e meio ambiente

Aliar a logística à sustentabilidade pode ser um grande desafio, mas é recompensador em todos os sentidos. Para começar, é importante lembrar que a logística, quando bem planejada, não precisa ser destrutiva. Apesar de demandar muitos recursos, ela é a que possui mais eficiência operacional, então pode interagir muito bem com a sustentabilidade. Veja como:

  • Modernizar a frota e monitorar a emissão de poluentes
    Caminhões mais antigos não só emitem mais poluentes, como podem afetar diretamente no caixa das empresas, já que consomem mais combustível, exigem mais paradas para manutenções, correm maior risco de sofrer acidentes e, no fim das contas, também possuem uma menor produtividade. Para se ter uma melhor dimensão da situação dos veículos que cortam o país todos os dias, um relatório do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores apontou que a frota circulante no país tem, em média, 10 anos e 8 meses. Em 2012, era 1 ano e 2 meses menor.

    Apesar do investimento alto, renovar a frota pode ser uma alternativa que só traz melhorias para a empresa. Caminhões modernos possuem mais tecnologias, como as que minimizam a emissão de gases e até otimizam o consumo de combustível.

    Mas o monitoramento, mesmo em veículos mais novos, deve ser constante. Você sabia, por exemplo, que caminhões e ônibus são responsáveis por metade da poluição do ar em São Paulo? Foi o que revelou um estudo feito pela Universidade de São Paulo (USP) com aqueles que são movidos a diesel. Mas o que há de mais assustador nesse número é eles representam apenas 5% da frota.

    Levando em consideração os altos níveis de compostos tóxicos que esse tipo de veículo libera na atmosfera, é de extrema importância que as empresas estejam atentas aos seus caminhões pois, mais uma vez, além de trazer prejuízos ao meio ambiente, não dar importância a esse item também pode ter consequências no bolso.

    O Ministério do Meio Ambiente realiza campanhas que buscam controlar a emissão de gases e acompanha a fumaça liberada pelos veículos. A chamada “fumaça preta” – quanto mais escura, maior a concentração de poluentes – pode render multas. Por isso, para contribuir com a qualidade do ar e cumprir a legislação, é importante fazer um controle regular. Existem, inclusive, aparelhos específicos para analisar a densidade da fumaça, como o opacímetro, que ajudam a verificar se tudo está dentro dos padrões exigidos.

  • Otimização de rotas e processos
    Evitar o desperdício é fundamental e traz ganhos em todos os sentidos. A começar pelas rotas. Planejar bem cada saída, mapeando e aproveitando o trajeto para fazer mais entregas é sempre uma saída inteligente. Quando bem pensadas, ainda possibilita que o motorista pegue caminhos mais curtos, o que ainda rende entregas mais rápidas e consequentemente a satisfação do cliente.

    O cuidado com os processos também é fundamental. Com organização, todas as etapas, desde o armazenamento até o produto chegar ao consumidor final são melhor aproveitados, evitando falhas, como envio de produtos errados ou danificados.

  • Logística verde
    A logística verde, também chamada de logística sustentável, tem um objetivo: fazer a destinação correta de resíduos de bens de consumo. Com isso, está preocupada não somente em reduzir os impactos ambientais, mas também com as pessoas envolvidas nas atividades ao entorno.

    Ela pode ser aplicada de duas maneiras principais. A primeira delas é tomar a responsabilidade “do berço à cova”, ou seja, ser responsável não só pela produção, mas pela destinação final dos produtos. Com isso, é possível minimizar impactos trazidos pela destinação incorreta.

    A outra opção é chamada de “berço ao berço”, em que o produto continua sendo consumindo, seja como nutriente para o meio ambiente ou matérias-primas para o desenvolvimento de novos produtos. Aqui, o impacto é extremamente reduzido, já que em vez de prejudicar o meio ambiente o produto alimenta o ciclo biológico do planeta e o ciclo tecnológico das indústrias.

    Vale lembrar que algumas empresas, entre elas fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de aparelhos eletrônicos, pilhas, baterias, agrotóxicos, lâmpadas fluorescentes e pneus, por exemplo, já são obrigadas por lei desde 2010 a implantar a chamada logística reversa, que tem a função de dar o encaminhamento correto aos resíduos gerados por seus produtos. Para isso, a empresa faz a retirada desse resíduo na casa do consumidor ou disponibiliza pontos de coleta. A destinação pode ser a reutilização, reciclagem ou descarte.

  • Lavagem dos caminhões
    Esse processo, apesar de parecer pequeno diante dos demais, pode também ser revisto para ajudar a poupar a água. Uma ótima solução para a situação é, por exemplo, fazer um sistema de coleta da água da chuva para ser usada com essa finalidade. É importante lembrar que o descarte dos resíduos, já que podem conter óleo, graxa e outros poluentes que afetarão o lençol freático, então é essencial que a água passe por filtros para a remoção desses poluentes.

  • Você já conheceu algumas formas de tornar a logística da sua empresa mais amiga do meio ambiente. Agora, é hora de aplicar na rotina e sentir os resultados. Ações sustentáveis rendem credibilidade com o consumidor, economia e também o orgulho de saber que está protegendo nosso planeta. Coloque em prática!

Comentários

LEIA TAMBÉM: